Primeira Página | Ensina-me a viver

Ensina-me a viver


  • 05 ago


  • admin

CARTAZA improvável história de amor entre Harold, um senhor de quase vinte anos, obcecado pela morte e Maude, uma jovem de quase oitenta anos, apaixonada pela vida. Sensível, inteligente e rico, Harold não conheceu o pai e vive com a mãe indiferente e autoritária. A quase octogenária Maude vive em um teatro, rodeada por margaridas e passarinhos e aproveita cada segundo de sua existência como se fosse o último. Quando se encontram, a sintonia é imediata. Maude, cheia de alegria e positividade ensina a Harold os prazeres da vida e da liberdade. “Ensina-me a Viver” é uma tocante e bem-humorada história de descobertas, que leva o espectador a acreditar que simplificar a vida é sempre o melhor caminho.

 

 

 

 

 

  • SÃO PAULO
    TEATRO BRASDESCO

    Até 7 de setembro de 2015
    Rua Palestra Itália, 2100 – 3º piso
    Sextas e sábados – 21h / domingos e 7 de setembro – 17h
    Informações: 4003-1212

    UBERLÂNDIA
    TEATRO MUNICIPAL DE UBERLÂNDIA

    De 17 a 20 de setembro de 2015
    Informações: (34) 3235-1568 e (34) 9118-6224

    SÃO PAULO
    CEU CASA BLANCA

    Rua João Damasceno, 85 – São Paulo – SP
    De 25 a 27 de setembro
    Entrada Gratuita
    Informações: (11) 5219-5244 e (11) 5219-5245

    PORTO ALEGRE
    TEATRO SÃO PEDRO

    De 1 a 11 de outubro de 2015
    Informações: (51) 3227-5100 e (51) 3227-5300


  • Texto – Colin Higgins
    Tradução – Millôr Fernandes
    Direção – João Falcão

    Elenco
    Glória Menezes
    Arlindo Lopes
    Angela Dip
    Marcio Vito
    Elisa Pinheiro
    Adassa Martins (stand in de Elisa Pinheiro)

    Elenco de Apoio
    Verônica Valentim
    Guilherme Siman
    Walisson de Souza
    Jamil Kubruk

    Assistente de Direção e Direção de Movimentos  – Duda Maia
    Cenografia – Sérgio Marimba
    Figurinos – Kika Lopes
    Iluminação – Renato Machado
    Trilha Sonora – Rodrigo Penna
    Efeitos Especiais – André Fuentes

    Projeto Gráfico – Arlindo Lopes
    Designers Gráficos – Ralph Teixeira e Tatiana Wanderley
    Assessoria de Imprensa – Barata Comunicação
    Fotografias – Ronaldo Aguiar, Rubens Cerqueira, Chico Lima, André Pinnola,Guido Bompan e Leo Aversa

    2º Assistente de Direção – Guilherme Siman
    Assistentes de Cenografia – Ester Cotrin e Vanessa Couto
    Assistentes de Figurino – Letícia Ponzi e Masta Ariane

    Diretor de Palco – Gerson Porto
    Técnicos de Som – Vitor Osório e Kelson Santos
    Técnico de Luz – Luiz Fernando Vaz Jr
    Camareiras – Pequena e Esmê de Souza

    Produção Executiva e Administração – Luciano Marcelo
    Produtor Assistente – Felipe Mussel
    Assistente de Produção – Alessandra Baptista
    Estagiário – Yury Mussury

  • Indicado pelo Jornal O Globo e Revistas Veja Rio e Veja S. Paulo como um dos melhores espetáculos da temporada.
    Em 2008 Ensina-me a Viver recebeu os seguintes prêmios:
    Prêmio Qualidade Brasil:
    Melhor Espetáculo Drama
    Melhor Diretor Drama: João Falcão
    Melhor Atriz Drama: Glória Menezes
    Melhor Ator Drama: Arlindo Lopes

    Prêmio Contigo Melhor Atriz: Glória Menezes
    Prêmio APTR (Associação dos produtores de Teatro do Rio de Janeiro)
    Em 2009 é recordista em indicações o Prêmio APTR /08 Indicado em sete categorias.
    Melhor Espetáculo
    Melhor Produção: Primeira Página
    Melhor Diretor: João Falcão
    Melhor Atriz: Glória Menezes
    Melhor Atriz Coadjuvante: Fernanda de Freitas
    Melhor Iluminação: Renato Machado
    Melhor Figurino: Kika Lopes
    A premiação foi realizada no dia 06 de julho de 2009, no Rio de Janeiro.
    VENCEDOR DO PRÊMIO NA CATEGORIA MELHOR PRODUÇÃO

  • Veja Rio_17.7_10 peças bem avaliadasIndicação_Veja (1)4clipping          05clippingRIO

     

    16clipping   07clippingRIO    08clippingRIO

  • Teatro Crítica – ”Ensina-me a viver”: Belo e emocionante texto de Colin Higgins em tradução, adaptação e direção fluentíssimas

    Sem medo de se emocionar, e sobretudo, sem medo de viver

    A alegria superando a tristeza. A disposição de viver tomando o lugar da depressão. A leveza de um ser suavizando a densidade de um outro ser. Enfim, a vida vencendo a morte. Estes são Maude e Harold, casal, aparentemente, improvável, mas que se torna cúmplice na bela arte dos encontros inesperados, que só a vida, somente a vida, este “mistério do Criador” pode nos conceder. Maude, uma octagenária, que vive com a disposição e a desenvoltura de um jovem. E Harold, um jovem, que vive, com a indisposição e introspecção prováveis de um octagenário. No belo e inesperado encontro entre os dois, Maude vence a batalha. E Harold, com várias tentativas tragicômicas de suicídio, descobre que a vida possui fronteiras, mas também nos apresenta horizontes. E o grande trunfo desta remontagem de “Ensina-me a viver”, peça teatral de Colin Higgins, em fim de temporada depois de cinco anos em cartaz atraindo cada vez mais público, está nos trabalhos dos protagonistas Glória Menezes e Arlindo Lopes. A grande dama da Teledramaturgia Brasileira tem mais uma belíssima atuação no teatro. Sua Maude é um acerto total. Glória é a própria glória em cena. Deslumbrante e faceira; garbosa e matreira. Sua composição é de caráter digníssimo e exímia postura no tanger dos gestos e das falas. Arlindo Lopes encara o desafio de dar vida ao difícil Harold, com maturidade artística surpreendente. Talentoso e sob os efeitos de uma precisa direção, não deixa Harold cair no ridículo, embora, em alguns momentos, e devidamente, arranque risos da plateia, com suas crises psicológicas. Seu trabalho além de atestar seu talento, confere-lhe o passaporte para o patamar dos melhores atores de sua geração.

    Os atores coadjuvante são todos, sem exceções, ótimos. Ilana Kaplan está só perfeita, como a mãe ausente e indiferente às angústias do filho Harold. Alheia a tudo que se passa ao redor do filho, vive (diverte-se) de tentar arranjar namoradas para o rebento. Elisa Pinheiro (que entrou no lugar de Fernanda de Freitas) é dona de uma indisfarçável teatralidade e magnitude. Na tarefa árdua de dar vida às três pretendentes à namorada de Harold, ela se sai muitíssimo bem. Antônio Fragoso é bastante satisfatório, como o psiquiatra de Harold. Enquanto, Guilherme Siman, Jamil Kubruk, Wallison Souza e Verônica Valentim cumprem devidamente suas funções.

    Ficha técnica é de primeira linha

    O cenário (Sérgio Marimba) evoca ao mesmo tempo a alma solitária e sombria de Harold em seu âmbito doméstico, e a disposição de viver de Maude por onde ela passa. Com objetos em tons neutros, tudo é muito funcional. E quando o palco se encontra carente de elementos cênicos, não prejudica a cena, visto que em muitos momentos o texto e as atuações são os alicerces da montagem teatral. A iluminação (Renato Machado) sublinha muito bem todas as cenas e as faz expandir aos olhos dos espectadores. Um trabalho de craque. A trilha sonora (Rodrigo Penna) é marcante, enquanto os efeitos especias (André Fuentes) imprime maior charme a tudo o que se vê. Os figurinos (Kika Lopes) são de visível acabamento.

    O texto de Colin Higgins, já montado no Brasil, em 1981, com Henriette Maurineau e Diogo Vilela estreando, é primoroso. Primorosa também é a tradução de Millôr Fernandes. Muito provavelmente o homem mais inteligente que este país já teve, o humor característico de sua inteligência está expresso na fluentíssima tradução. A adaptação e direção de João Falcão revela o brilhante adaptador e diretor que ele é. Vindo de uma geração formada por Guel Arraes e Mauro Mendonça Filho, ele dá espaço aos atores para criar, mas sem deixar de imprimir suas marcas, principalmente no humor. Sim, “Ensina-me a viver” tem humor. Emociona e faz rir simultaneamente, além de nos deixar com gosto na boca e desejo na alma de quero mais. E para encerrar, uma pergunta: “Você conhece alguma coisa melhor que rir junto com alguém?”
    Reinaldo Lace – 27/10/2012


    “Os quatro críticos do Globo não pouparam  elogios. A encenação, segundo eles, leva o público a uma viagem pela magia do teatro com direção precisa e ágil de João falcão, cenografia fundamental e linda, de Sérgio Marimba. São unânimes em apontar a qualidade do elenco com destaque para o casal protagonista com elogios como “atuação primorosa”, segundo Bárbara Heliodora, “comovente”, segundo Tânia Brandão, “rara e valiosa”  segundo Stela Miranda”
    Editorial – Jornal O Globo – 9/8/08

    “A encenação é cuidada e leve. João falcão encontra o tom exato para a mistura de realismo e quase-sonho…
    O Elenco está todo em sintonia com o texto. Arlindo tem atuação de ótima qualidade e Glória tem mais uma grande atuação no palco….
    A  integração dos trabalhos de Arlindo e Glória é impecável e o espetáculo encanta o público com sua qualidade e seu calor”
    Bárbara Heliodora – Jornal O Globo – 9/8/08

    “A montagem de João falcão é diferente de tudo o que foi visto antes. O diretor investe em um clima lúdico, menos denso. A Maude de Glória Menezes torna-se mais sapeca e o Harold interpretado pelo ótimo e cativante  Arlindo Lopes, mais engraçado.
    … Mostra,  com frescor e vigor que o texto não envelheceu e segue como um manifesto pela liberdade, pela vida, pela alegria e pela valorização da individualidade”
    Jefferson Lessa – Jornal O Globo – 9/8/08

    “Nesta montagem o diretor apostou na teatralidade, no jogo teatral diante do público. … Glória é Maude em sua plenitude. Sua atuação e comovente. Arlindo tem desempenho requintado. Ilustra com maestria a viagem do sombrio ao amor”
    Tânia Brandão – Jornal O Globo – 9/8/08

    “A mágica de um romance imortal. Pelas  mãos do diretor João Falcão, Ensina-me a Viver surge quase como um teatro mágico. Os truques arrebatam a platéia. Glória nos comove em filigranas de interpretação.
    Stella Miranda – O Globo – 9/8/08

    A encenação de João Falcão é feliz, pra cima, ágil. Além da interpretação dos atores, os cenários, figurinos e trilha sonora são pontos altos do espetáculo. Montagem de qualidade que equilibra elegância, humor e emoção
    André Gomes – Jornal O Dia – 11/8/08

    “Um apaixonado tributo à vida numa  produção simplesmente imperdível!
    A  ótima química entre Glória e Arlindo gera risos e lágrimas na platéia.
    …Se já achávamos  João Falcão um diretor brilhante, agora acreditamos estar diante de um poeta da cena, também capaz de extrair irretocáveis atuações do elenco. Glória e Arlindo formam uma dupla deslumbrante. Ilana Kaplan   está irretocável e Augusto Madeira e Fernanda de Freitas dão um show de versatilidade em seus vários papéis.   … a trilha sonora é, sem dúvida, a mais criativa da atual temporada. ….”
    Lionel Fischer – Jornal Tribuna da Imprensa – 7/8/08

    “Eficácia sem qualquer arranhão! O texto corteja a platéia com uma “Louvação à vida. Pelo sucesso da temporada paulista e pela reação da platéia na estréia no Rio a comunicabilidade do texto não sofreu alteração pelo tempo ”
    Macksen Luiz – Jornal do Brasil – 8/8/08

    “A direção de João Falcão foge das caricaturas e moderniza a trama com trilha sonora descolada e apelo visual cinematográfico. Os protagonistas Glória Menezes e Arlindo Lopes tem química de sobra para fazer rir e, principalmente, emocionar”
    Revista Veja S. Paulo- Crítica

    “Ensina-me a Viver é indispensável! A difícil tarefa de unir boas gargalhadas e suspiros emocionados foi cumprida com maestria pelo diretor e atores. A mistura entre humor e delicadeza poética resultaram em um espetáculo indispensável não só aos mais sensíveis mas a todos que conservam o sentimentalismo comum ao ser humano”
    Diário do Grande ABC – Crítica

    “Gloria Menezes impressiona pela delicadeza que dá a Maude transformando-a numa personagem pela qual é impossível não se apaixonar”
    Isto É  Gente – Critica

    “Quão delicada é a história e tão engraçada ao mesmo tempo. Como as situações alternam entre o riso e o suspiro, numa sucessão de humores e recados”
    André Laurentino – O Estado de S. Paulo – Artigo


    Quando assisti o filme pela primeira vez na década de 70, pensei:
    “Será que um dia vou conseguir fazer essa personagem, terei eu condições físicas e mentais, para interpretá-la?”.
    Pois aqui estou, trinta anos depois, vivendo essa jovem senhora, que com suas travessuras, irreverências e muita sabedoria, ensina-me a viver.
    Espero conviver com ela durante muito tempo.

    Glória Menezes